Um programa especial de “O Bisturi”, prêmio audiovisual Plataforma SinDOLOR

(De izq. a drcha, o jornalista de rádio Jaume Segalés, membro do Júri; Ermesenda Fernández; e Javier Tovar/Foto fornecida pela Plataforma SinDOLOR

Artigos relacionados

Terça-feira 28.06.2016

Segunda-feira 20.06.2016

Sexta-feira 03.06.2016

Quarta-feira 13.01.2016

Segunda-feira 26.10.2015

Quinta-feira 05.03.2015

Terça-feira 03.02.2015

Os prémios de Jornalismo da Plataforma SinDOLOR, uma iniciativa conjunta da Fundação Grünenthal e a Fundação para a Pesquisa em Saúde (FUINSA), em colaboração com a Associação Nacional de Informadores de Saúde (ANIS), alcançaram a sua VII edição e se entregaram na noite da última quinta-feira, 24 de novembro, em um hotel de madri.

Estes prémios têm três categorias, já que a Imprensa Escrita e Audiovisual, foi integrado na presente edição da Dor Infantil.

Rádio saudável e saudável

O prêmio para a categoria audiovisual foi para o programa especial sobre a dor que “O Bisturi” aconteceu no final de setembro, a forma de monografia, dirigido pelo responsável EFEsalud, Javier Tovar, e coordenado e conduzido por Ermesenda Fernández.

Neste Especial, como explicou Ermesenda Fernández ao pegar o prêmio, discutiu e aprofundou a luta contra a dor a partir de três ângulos diferentes, mas complementares: o trabalho da Unidade da Dor do hospital Ramón y Cajal de Madrid, coordenada pelo dr. José Luis de Rua; o papel que pode desempenhar a alimentação, com a nutricionista Anabel Aragão; e o fator psicológico e a sua influência na dor, com o psicólogo Sergio García.

Sete milhões de pessoas com dor

O objectivo destes prémios é reconhecer o trabalho realizado pelos profissionais dos meios de comunicação para dar a conhecer e sensibilizar sobre a dor, conscientizando assim a sociedade de um problema que afeta cerca de 7 milhões de pessoas em Portugal.

Também foram premiados, na categoria de Imprensa Escrita, compartilhando o primeiro prêmio, “O Mundo”, pelo trabalho de Laura Tardón “Um escudo contra a dor”; e “Jornal do Médico”, com a reportagem “O manejo da dor, livre de vícios em Portugal”, de Raquel Serrano e Carlos Moreno. Um segundo prêmio nesta categoria foi para Fermín Apezteguía por “Viver com dor”, publicado em “O Correio”.

Na nova categoria, Dor Infantil, a reportagem “Jogo contra a dor”, de Nuno Briongos, emitido na Antena 3, que recebeu o primeiro prêmio, enquanto que “A dor de uma criança”, de José Manuel Albelda, Mercedes Carreira, Roberto Gómez e Valentim Carreira, emitido na Rtp, obteve o segundo prêmio.

O júri da VII edição tem estado composto por Rosa Maria Calaf, jornalista e excorresponsal da RTVE; José Manuel González Aragão, diretor-geral de Servimedia; Emilio de Bento, presidente da Associação Nacional de Informadores de Saúde (ANIS); Dr. Anton Ferreiros, diretor de FUINSA (Fundação para a Pesquisa em Saúde); Dra Maria Dolors Navarro, diretora do Instituto Albert J. Jovell de Saúde Pública e Pacientes ; Rosa Moreno, padroeira da Fundação Grünenthal; Jaume Segalés, jornalista de rádio; Dr. João Antonio Micó, presidente da Sociedade Espanhola da Dor (SEDE), e Beatriz Peñalba, secretária do júri da VII Edição dos Prémios de Jornalismo Plataforma SinDOLOR.

Para Rosa Moreno, patrono da Fundação Grünenthal, esses elogios são o melhor reconhecimento ao trabalho diário dos jornalistas: “o Vosso trabalho é o melhor apoio para avançar na conscientização sobre a importância da dor. Através de vossas notícias, reportagens, análises, tem a capacidade de chegar a milhares de pessoas, o que os confere uma responsabilidade e um papel-chave para que toda a sociedade entenda o problema de saúde, social e econômico que representa a dor e, sobretudo, para que conheçam as opções terapêuticas para o seu tratamento e ter a esperança de que é possível uma melhor qualidade de vida”.

Aqui você pode ouvir todos os programas de “O Bisturi” e procurar o especial premiado, número 36, Monográfico sobre a Dor.

O programa premiado teve uma versão no site da EFEsalud que pode consultar aqui.

(Não Ratings Yet)
Loading…

Leave a Reply